Tag: fotografia

Miradouro de Nossa Senhora do Monte

Hey, That's No Way To Say Goodbye

Hey, That's No Way To Say Goodbye Boa Viagem - Lisboa espera por ti

I loved you in the morning, our kisses deep and warm,
your hair upon the pillow like a sleepy golden storm,
yes, many loved before us, I know that we are not new,
in city and in forest they smiled like me and you,
but now it’s come to distances and both of us must try,
your eyes are soft with sorrow,
Hey, that’s no way to say goodbye.

I’m not looking for another as I wander in my time,
walk me to the corner, our steps will always rhyme
you know my love goes with you as your love stays with me,
it’s just the way it changes, like the shoreline and the sea,
but let’s not talk of love or chains and things we can’t untie,
your eyes are soft with sorrow,
Hey, that’s no way to say goodbye.

I loved you in the morning, our kisses deep and warm,
your hair upon the pillow like a sleepy golden storm,
yes many loved before us, I know that we are not new,
in city and in forest they smiled like me and you,
but let’s not talk of love or chains and things we can’t untie,
your eyes are soft with sorrow,
Hey, that’s no way to say goodbye.

www.youtube.com/watch?v=jexNsBjz1r8

III Maratona da Fotografia Digital de Alfama

As inscrições para a III Maratona da Fotografia Digital de Alfama sob o tema “Os sentidos de Alfama” estão abertas!

Os interessados poderão consultar o regulamento no site da APPA e inscrever-se neste ou no Museu do Fado.

Procissão de Santo António

Dois anos depois decidi voltar a fotografar uma das mais impressionantes procissões católicas de Lisboa. Desta vez, com uma recém adquirida lente de 50mm.



Podem dar uma olhada aqui.
Quem tiver tempo e paciencia não hesite em deixar comentários, por muito devastadores que sejam!

Inquietação

This entrance is closed.
A contas com o bem que tu me fazes
A contas com o mal por que passei
Com tantas guerras que travei
Já não sei fazer as pazes

São flores aos milhões entre ruínas
Meu peito feito campo de batalha
Cada alvorada que me ensinas
Oiro em pó que o vento espalha

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Ensinas-me a fazer tantas perguntas
Na volta das respostas que eu trazia
Quantas promessas eu faria
Se as cumprisse todas juntas

Não largues esta mão no torvelinho
Pois falta sempre pouco para chegar
Eu não meti o barco ao mar
Pra ficar pelo caminho

Cá dentro inquietação, inquietação,
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Cá dentro inquietação, inquietação,
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Mas sei
É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que devia perceber
Porquê, não sei
Mas sei
Que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer
Qualquer coisa que eu devia resolver
Porquê, não sei
Mas sei
Que essa coisa é que é linda

(José Mário Branco – Inquietação)

Podem ouvir aqui

Maratona Fotográfica de Alfama 2008

Já estão abertas as inscrições para a II Maratona Fotográfica de Alfama, este ano com o tema : Alfama – Ponto de Encontro, a realizar Sábado, 28 de Junho.

Aproveitem este oportunidade única de conhecer este bairro por dentro e por fora.

Mais informações aqui.

A máquina não faz o fotógrafo…

Whattheduck

…mas há máquinas e máquinas…

© 2019 E. Balsa

Theme based on hemingway and unoUp ↑