Quem é “Terrorista” afinal? (II)

Excerto do relato de Amaia Urizar, torturada pela Guardia Civil:

Então senti o metal entre as minhas pernas e um guarda civil sussurrou-me que não me mexesse. Eu chorava e comecei a gritar como uma louca, enquanto fazia forças para juntar as minhas pernas, mas não podia porque tinha os tornozelos atados aos pés da cadeira… Pôs-me a pistola entre as pernas e com a mão apalpou-me as cuecas; eu gritava-lhe que me deixasse em paz, mas ele começou-me a bater-me nos ouvidos com estalos e gritava-me que estivesse quieta ou que se ia escapar um tiro porque a pistola estava carregada. Ouvia as gargalhadas dos restantes dizendo coisas do estilo “vaca, puta, vais gostar..”. Introduziu-me o canhão da pistola na vagina enquanto me gritava ao ouvido uma e outra vez “que te digo quando te foder, gora ETA?” Não podia parar de chorar e já não tinha forças para gritar. Começou-me a introduzir e a tirar a pistola de forma mais violenta, o que me provocava dor, enquanto que o que me sussurrava “sim, tu gostas, puta”, “não vais ter um filho porque te vou dar dois tiros”…O seu odor metia-se dentro de mim, enojava-me, não sei se alguma vez me sairá este cheiro da cabeça…Estavam-se todos a rir (…) metia-me e tirava o canhão da pistola na vagina e sovava-me o peito de forma brusca, apertando-me o peito com as mãos. Notava dentro de mim o frio do metal, eles repetiam que a pistola estava carregada e que se disparassem a culpa seria minha…Não sei quanto tempo se prolongou a violação mas fiquei muda, estava como perdida; naquela habitação estavam a violar o meu corpo, mas por momentos consegui fugir dali em pensamentos, entre soluços, mas consegui fugir dali; dava-me conta da minha gente, estava com eles e elas, estava protegida… De repente sacou o canhão bruscamente de dentro de mim, enquanto lhes dizia (…) “temos de repetir, que ela gostou”… Voltei à realidade, encontrava-me dorida… De novo mostraram-me as fotografias, de uma em uma, e diziam-me a respeito de cada pessoa o que lhes tinha dito (de que local eram…) mais o que eles lhes queriam imputar; diziam-me que tinha de aprender tudo de memória para repetir quando tivesse de declarar… Repetiram-no muitas vezes e eu tinha que o repetir tudo uma e outra vez e se confundia começavam a bater-me e dar-me estaladas, e a ameaçar-me dizendo que me iam violar de novo”.

Lê o relato completo

Assina a petição da ASEH para que os dois presos bascos em Portugal não sejam enviados para Espanha e sujeitos a tratamento deste calibre.

14 Comments

  1. Como é que sabes que este relato é sequer verdadeiro? A única referência que se encontra a isto mesmo pela net fora é o mesmo texto que tu transcreves aqui, em castelhano e em basco…

  2. Sabes a difrença esta en que, os policias que fizeram isso a ser verdade vão presos, se um etarra rebenta não sei quantos civis numa rua de madrid é promovido…
    Um erro não resolve outro.

  3. Se vires o documentario do qual o video do post anterior foi retirado, vais entender que as “atitudes” policiais tem ordens superiores.

    E se um estudante que pertence a uma organizacao que luta entre outras coisas contra a construção do TGV, pelos direitos estudantis, e sim, pela independencia basca for preso a meio da noite sem aviso prévio e fica em regime de isolamento sem direito de falar com a familia durante 3 meses (até agora), achas isso uma democracia? e se nao for só um? se forem até agora cerca de 34? E se te disser que a juntar a esses 34 existem cerca de 7 centenas de pessoas presas? Vais me dizer que são todos etarras? que todos tem relacoes com as bombas?

    O que se passa no Pais Basco já aconteceu cá. Por cá a longa noite fascista já acabou. Por lá ainda não.

  4. O que em espanha se passa é o resultado, da politica de olho por olho dente por dente. qundo a eta sistematicamente ataca a casas particulares de oficiais da guarda civil que esperas que aconteça??
    O governo espanhol ainda não começou a por bombas no meio do pais basco, nem a matar os empreasarios que não pagam o irs pois não?
    Um dia chega lá, mas ainda não é hoje, o que é engraçado é ver que na historia são raros os casos de movimentos separatistas viaolentos que realmente deram frutos, e ver que movimentos pacificos tiveram muito melhor resultados.
    Quando se mete uma bomba no meio dum centro comercial perde-se toda a razão, qunado se mete bombas numa zona turistica para matar turistas e provocar assim grandes perdas economicas e de empregos de gente completamente inocente é se completamente tonto.
    Ou talvez quando toda a vida se fez o mesmo e ser etarra é atua profissão não ha grande solução se não continuar como de costume.

  5. Quem perde a razao? a ETA? ou o movimento independentista como um todo?

    E como pode um estado “democrático” (lol) prender indiscriminadamente? Fechar partidos politicos, radios, jornais, associacoes?

    O desespero leva à guerra – ver Irlanda, Palestina, Arabia Saudita, Africa do Sul, TIMOR, ANGOLA, MOCAMBIQUE,GUINE BISSAU,SAO TOME E PRINCIPE , etc etc etc – tudo sitios em que os “TERRORISTAS” tiveram de fazer guerra conta os poderes ocupantes.

  6. E mesmo que tenham ordem superiores isso é razão para andarem a matar quem não tem nada a ver? E já agora pq tb não falas das ameaças e abusos que os etarras cometem contra a propria população que não é independentista?
    O que vem num documentário não quer dizer que seja verdade. São como os médicos dos anos 50 que diziam que fumar não provocava cancro…

  7. “E como pode um estado “democrático” (lol) prender indiscriminadamente? Fechar partidos politicos, radios, jornais, associacoes?”

    da mesma forma que o estado português fecha partidos fascistas…

    “ANGOLA, MOCAMBIQUE,GUINE BISSAU,SAO TOME E PRINCIPE”
    o que fizeram foi jogar o jogo da guerra fria ANGOLA, MOCAMBIQUE,GUINE BISSAU,SAO TOME E PRINCIPE e portugal eram peões de gente pior.

    “Palestina” não vamos por aí encontrar inocentes lá é muito muito dificil.

    “Arabia Saudita” tas a brincar??

    “Irlanda” a resistencia pacifica/politica deu a independencia a irlanda ar resistencia militar fez a irlanda do norte

    “timor” o massacre de dili deu a independencia, quando guardas armados disparam sobre gente inocente e pacifica. não fou a resistencia armada.

  8. “da mesma forma que o estado português fecha partidos fascistas…” claro…como o PNR

    “ANGOLA, MOCAMBIQUE,GUINE BISSAU,SAO TOME E PRINCIPE”
    entao deviam continuar a ser colonias ?

    Arabia saudita : a causa saauri ja tem uma serie de declaracoes das Nacoes Unidas a condenar a ocupacao!

    “Irlanda” – claro claro foi o pacifismo

    “timor” – sim a independencia até se deu depois do massacre… e nao havia resistencia armada nem nenhum papel da fretilin!

    ROTFLOL

  9. Ups… esqueci me da palestina : le a lista no final deste artigo : http://www.rebelion.org/noticia.php?id=98547

    se calhar …segundo a tua teoria “se morrer 1 inocente…” deve-se acabar com Israel 😛

  10. O terrorismo só trouxe morte e violência, para todos. Trancar e calar quem mata é legítimo!

    Os inocentes presos?… Comparemo-los com os inocentes mortos.

  11. Gostaria de dizer que concordo com o Nuno Pinheiro, apesar de condenar efectivamente os abusos relatados, em virtude de pensar que a ETA é um movimento retrogrado cuja luta já foi legítima mas já não o é, dado que os principais objectivos já foram atingidos. Em relação ao nacionalismo, que penso ser um ideal, acima de tudo, romântico, cada vez faz menos sentido. De notar a inteligência dos catalães que conseguem quase tudo que pretendem apenas pela via do diálogo, havendo, neste último caso, legitimidade dos seus dirigentes, os quais não recorrem à ameaça, à violência e às execuções quando os compatriotas não estão de acordo.
    Por esses motivos considero até de mau gosto a petição que está a divulgar. Com isto não defendo, mais uma vez, os abusos relatados e, a serem verdadeiros, deveriam ser condenados.

  12. Hmm…entao e eles estao presos porque? :o)

  13. Boas.

    O que é retratado neste depoimento faz dos elementos da polícia que fizeram isto umas verdadeiras bestas. Essas pessoas deveriam ser punidas judicialmente pelos seus actos, infelizmente penso que isso não vai acontecer.

    No entanto isto em nada justifica as atitudes da ETA e não desculpa o facto de andarem a matar gente inocente e civis que nada têm que ver com estas questões.

    As pessoas não podem tentar mostrar os seus pontos de vista à custa de actos de violência.

    Atenção que lutar armada e terrorismo são coisas completamente diferentes. O caso da ETA e do País Basco em nada tem que ver com a situação de Timor Leste por exemplo.

    Cumprimentos, Jorge.

  14. Alguns deles nem sequer sabem do que sao acusados.
    Outros sao acusados de pertencerem a organizacoes ligadas à eta. neste caso seriam todos da segui, uma organizacao de jovens, cujo crime era ter estado ligada ao batasuna.

Leave a Reply

© 2018 E. Balsa

Theme based on hemingway and unoUp ↑

%d bloggers like this: