Já vem um pouco atraso este post, e não passa de um rascunho de um texto que nunca vai ser escrito como deve ser…peço portanto desculpa pela confuão..

Desde de 2001, sempre que chega o mês de Setembro, os media começam a dar documentários sobre os acontecimentos do 11 de Setembro – sobre os bombeiros, sobre os sobreviventes, sobre os familiares das vitimas – e todos os anos é passada a imagem de vitima dos EUA em relação ao que se passou — passa-se essa mensagem, mas nunca se discutem as razões, nunca se discutem os porquês (embora por vezes sejemos bombardeados com contra-teorias da conspiração – aparentemente para fazer parecer que qualquer teoria que ponha em causa a versão oficial dos acontecimentos não passa de uma palhaçada), e muito mais importante, nunca se compara o número real de mortos do 11 de Setembro, com o número de mortos que resultaram das medidas securitárias que os EUA implementaram desde então [estimam-se que existam cerca de 600.000 mortos no Iraque desde a invasão americana, 100.000 no Afeganistão, etc…]

Com a desculpa do 11 de Setembro e do terrorismo, os EUA impuseram internamente um sistema orweliano de controlo sobre a sua população, em que qualquer um, em qualquer altura, e em qualquer lugar (e há casos fora dos EUA, com cidadãos estrangeiros) pode ser capturado, encarcerado, torturado e não ter direito a advogado, defesa ou julgamento.

Com a desculpa do 11 de Setembro, Bush e seus amigos (com a ajuda dos muy-democráticos Democratas) impuseram aos seus cidadãos uma série de novas regras que incluem, mas não se limitam a:

  • Obrigação de qualquer funcionário de serviços públicos ou federais denunciar qualquer comportamento que lhe pareça suspeito
  • A possibilidade do estado ter acesso todo e qualquer registo de utilização de bibliotecas (será para verem quem consulta os livros de como construir bombas?) [link interessante]
  • Prisões sem justificação e sem julgamento.
  • Alteração do funcionamento dos aeroportos (inclusivé levando a extremos a atitude orweliana de implementar regras sem sentido [no caso mundial actual – a proibição de se poder levar liquidos para bordo dos aviões]
  • A utilização de seguranças privados para intimidar e controlar passageiros que apenas querem apanhar um avião, intimidando-os, e obrigando-os a ficar em modo estátua por periodos até 30 minutos – Exemplo 1 , Exemplo 2
  • Pessoas impedidas de entrar num avião por causa da roupa que vestiam – Por causa de uma t-shirt anti-bush, Por ter uma t-shirt anti-guerra , por ter uma roupa nao considerada decente…