Category: sociedade

Dedicado ao meu país…


[http://youtu.be/nW0ACEOEq6w]

Só porque sim… (ou talvez não)

Coisas que me agastam um bocadinho…

 

Uma das coisas que me agasta…um bocadinho é, de manhã, na rádio  e ouvir aqueles factóides / efemérides  que depois são comentadas de forma jucosa ou pseudo-humorisitica…

O problema disto é que…normalmente os comentários são completamente desajustados da realidade (ou esvaziados de um qualquer mínimo de inteligência…).

Hoje a grande efeméride (na M80) era a invenção (que na realidade é o registo de patente) dos ecrãs LCD… que segundo eles se teria dado em 1971. Rapidamente o locutor se apressou a brincar com a situação dizendo que só “muitos anos depois” (sic) tinham chegado a ser utilizados, já muito “perto do tempo que corre”. Ora… por certo o dito locutor passou à frente dos anos 80 nunca tendo utilizado relógios de Pulso, nem tendo tido rádios despertadores nem Gravadores de Video (“vídeos”), passando à frente de todos os portáteis, registadoras, TVs portáteis.. etc etc dos anos 90, directamente para os anos 2000 com os LCDs na sua única representação … o televisor gigante de sala…

Qual o problema que tenho com isto ? A generalização do fait-divers mal contado, do facto que não o é, da piada “inteligente” que na realidade só mostra ignorância. Esta falta de capacidade de abrir a wikipedia, o google, ou um qualquer livro por parte destas figuras que vão debitando palavras 24/24 aos nossos ouvidos e que tem o seu expoente máximo na forma como servem de wing-man a comentadores de “serviço” como o Camilo Lourenço em programas sobre “economia”, que na realidade não passam de pasquins de rádio dignos de um taxista. Camilo Lourenço diariamente tem dezenas de minutos para deitar as suas muitas e “inteligentes” considerações sobre o que o Governo, oposição e outros fazem. Deitando sempre algum falso veneno ao governo, notavelmente por este não ser suficientemente neo-liberal, e sempre, sempre, com os seus wing-man locutores que lhe dão as palavras chave para continuar (“todos sabemos que a culpa da divida é de todos”, “só não trabalha quem não procura”, “o governo mais uma vez não foi suficientemente longe”).

Enfim..coisas que me agastam…desde os relógios Casio… aos direitos dos trabalhadores…

As palavras que era preciso dizer, na cara de quem as tinha de ouvir, no sitio onde devem ser ditas

 

«Abril, que foi o louvor da política, optou. Decidiu o salário mínimo. Optou pelos direitos dos trabalhadores contra os interesses do capital. Optou pelos que não tinham escola nem saúde. Optou pelos sem terra contra os que a tinham em demasia. Optou pela paz contra os interesses dos que faziam a guerra. Optou pela liberdade de todos os povos como fundamento da nossa própria liberdade.

E hoje, é o projecto de Abril, os valores de Abril que podem iluminar o caminho a Portugal e aos portugueses. Do passado para o futuro, a liberdade, a democracia, o desenvolvimento, a justiça social, a soberania e a independência nacional!

Um caminho de necessária ruptura e alternativa.»

Fonte

Verdade de La Palisse

Miguel Cadilhe, ministro das Finanças do Governo de Cavaco Silva vem agora declarar que “Não deveríamos ter entrado para o euro” tendo em conta “desproporção e a inadequação entre a moeda única e a nossa estrutura produtiva”. Cadilhe diz-nos que cedo avisou para este problema, mas como o próprio também diz “A moeda do euro não começou há 10 ou 12 anos, como agora muitas vezes se diz, começou há 20, nessas antecâmaras do euro” e Cadilhe foi um dos envolvidos em todo este processo, não tendo levantado um dedo para o contrariar. [ http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=2436272&especial=Revistas+de+Imprensa&seccao=TV+e+MEDIA ]

Ao contrário de Cadilhe, o PCP desde cedo se mostrou contra a entrada de Portugal na UE e no Euro, chamando a atenção para o que ai vinha.

É interessante ler os pontos chave que o PCP destacava na altura:

1. PORTUGAL CADA VEZ MAIS DISTANTE DOS PAÍSES RICOS.
2. MAIS DESEMPREGO, MAIS GOLPES NOS DIREITOS SOCIAIS, BAIXOS SALÁRIOS, FALÊNCIAS.
3. SACRIFÍCIOS PARA LÁ ENTRAR E SACRIFÍCIOS AINDA MAIORES PARA LÁ CONTINUAR.
4. SOBERANIA NACIONAL REDUZIDA A MUITO POUCO, PORTUGAL A SER GOVERNADO DO ESTRANGEIRO.

[Declarações de Carlos Carvalhas (1998) http://www.pcp.pt/actpol/temas/moeda/cc980504.html
Folheto sobre o Euro (1998) http://www.pcp.pt/actpol/temas/moeda/folheto.html
Dossier “O PCP e O euro” (1998) http://www.pcp.pt/o-pcp-e-o-euro-dossier]

E verificarmos…que todos eram e são verdade. Se na altura um referendo era imprescindível, claramente não o deixou de ser hoje, numa altura em que a Constituição é pisada todos os dias “porque não há dinheiro”, numa altura em que o Governo de Portugal, não passa, de forma muito mais clara que anteriormente de uma representação fantoche de interesses trans-nacionais, indo inclusivé “representar” Portugal e os Portugueses (!!) a países estrangeiros, mostrando como estamos de pernas abertas [ http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=537624&tm=6&layout=121&visual=49 ] violando todas as suas obrigações como governante, e estando no limiar do crime de traição à Pátria (” Ofender ou puser em perigo a independência do País” – Artigo 308 CP).

Mitos Urbanos

Há coisas que me agastam… uma delas é claramente mitos urbanos que todos divulgam e que todos fazem forward/share sem pensarem um bocadinho…

Anda a circular pelo facebook e blogs um texto (de um tal Nuno Franco) que não passa de mito urbano com uma informação enganosa para que supostamente “quem estiver em perigo de perder o seu apartamento por não poder pagar a hipoteca” não o perca.

Atenção que essa mensagem não corresponde à verdade

a) a maior parte dos creditos à habitação não permitem que quem compre alugue a casa antes de estar totalmente paga
b) o prazo de novos contratos de arrendamento é de 5 anos
c) o contrato teria de ser de habitacao permanente e a pessoa (o familiar) teria efectivamente de viver nessa casa
d) só por ser a um familiar, um contrato numa situação dessas seria facilmente considerado inválido
e) quem fizesse estaria em risco de ser acusado de burla

É necessário sim que as pessoas nessa situação tentem renegociar a divida com o seu banco.

Existe neste momento a ameça de uma nova lei de arrendamento que deveria antes ser chamada de lei dos despejo que coloca em risco de despejo milhares de portugueses. Consultem mais informação em http://www.ail.pt/

DIVULGA – Não deixes que tanta gente seja enganada.

Público vs Avante!

O Público decidiu presentear-nos com um ataque ao Avante! … mas bastará ler o comentário inicial do Richard Zimler para entender que tudo isto é uma mistificação… Zimler apenas aponta que “Na minha opinião este artigo podia (e devia!) ser bem mais clara em relação aos Protocolos. Devia começar com uma explicação do texto seguida por uma condenação dura e clara.” não acusa de forma alguma o PCP de anti-semita…

O texto de Jorge Messias, inserido na sua coluna semanal de opinião sobre Religião e Misticismo não vem defender ou atacar os ditos escritos que vieram,como se apressa o Público a referir, ser utilizados por Hitler – Não conhece por certo o jornalista que escreveu o artigo a regra que define que a partir do momento que se mete Hitler na discussão se prova que não se tem mais argumentos… O texto vem, dizia eu, indicar os paralelismos entre esse texto e a realidade em que nos inserimos. Ou será negável que existem forças económicas que controlam o que se vai passando pelo mundo (acho que agora se intitulam de “mercados”).
É também necessário clarificar que anti-sionismo e anti-semitismo são coisas completamente diferentes, existindo inclusivé grupos de judeus anti-sionistas.
Mas…não deixa de ser interessante verificar que à mínima hipótese o Público pega imediatamente num texto de um blog (5dias) para atacar o jornal Avante! – seria interessante que alguns “jornalistas” do Público passassem a ler o Avante! e a puxar para o seu público muitos dos assuntos que vem no Avante! e em mais lado nenhum…

Bicicletadas Massa Crítica

Já por duas vezes diferentes tive o (des)prazer de me cruzar com a “Bicicletada” da Massa Crítica no Marquês de Pombal…

“Massa Crítica”, para quem não conhece é um grupo internacional que pretende divulgar a utilização da bicicleta como meio de transporte de pleno direito nas cidades.
Ora… com as intenções deles não tenho problema nenhum – embora Lisboa seja uma cidade complexa para andar de bicicleta, gosto da ideia de esta ser mais utilizada e ter um papel mais preponderante, substituindo possivelmente em muitos casos o automóvel – o meu problema está com a forma de divulgação que utilizam.
Esta tal “bicicletada”, que se dá todas as últimas sextas feiras do mês, tem, como aparente ponto alto uma passagem (demorada) pelo Marquês de Pombal, em que os participantes dão voltas em plena hora de ponta à volta da rotunda – até aqui – embora discutível – tudo bem ainda. O que não posso de forma alguma concordar é com a forma como estas voltas são feitas – ignorando sinais de transito, ignorando regras de segurança e condução básicas.
A mim, como condutor forçado (vivo dentro da capital, e trabalho fora dela – nunca poderia fazer o caminho de bicicleta), chateia-me (enraivece-me? entristece-me?), que, a “Massa Crítica” em vez de me tentar mostrar (a mim, automobilista) o interesse de andar de bicicleta em Lisboa, mostrando-me como é possível e seguro, me ataquem impedindo a principal rotunda da cidade, e infringindo as mais básicas regras de segurança rodoviária (numa das ocasiões uma das bicicletas ultrapassou-me pela direita!).
Querem pessoas a utilizar bicicletas? A considerá-las uma boa alternativa aos automóveis? Cumpras as regras de transito.

Seduzam os automobilistas, não os ataquem!

The revolution will not be televised


http://www.youtube.com/watch?v=rGaRtqrlGy8

“Considera agora o outro lado da questão. Se durante anos te repetirem, dia após dia, com a mesma precisão com que te anunciam o terramoto japonês, que a solução para os teus problemas económicos só pode ser encontrada dentro do próprio sistema que os criou e que uma solução fora desse sistema nos condenará a todos à catástrofe, terás estado a receber uma representação fidedigna dos teus próprios medos ou dos medos de outras pessoas – as principais beneficiárias desse sistema?

Recusarmo-nos a usar o cérebro e confiar apenas nas representações dos «outros» não nos torna estúpidos, mas vítimas. E às vezes – como podemos ver pelas imagens que nos chegam da Grécia – as vítimas podem surgir aos nossos olhos apenas como simples arruaceiros.

Fragmento de um texto do Bitaites

Roubo!

Depois de semanas a lutar pela viabilização da TNC, os trabalhadores foram surpreendidos hoje de madrugada (pela calada é sempre muito melhor) com a apreensão de todas as viaturas da empresa, quer as que se encontravam em diversos locais de Lisboa para marcar esta luta, quer as que se encontravam nas instalações da empresa.

Mais uma vez a policia é utilizada, não para salvaguardar os justos interesses dos trabalhadores, mas sim para levar à pratica o que apenas favorece uns quantos (neste caso a direcção da empresa). É bom lembrar que o próprio governo havia considerado a empresa viável. É também bom lembrar, a titulo de curiosidade, que os mesmos proprietários desta empresa, detém outra, de seu nome TNC2, que se encontra de “boa saúde”.

Noticia em Público.pt
Nota do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal

Actualização 1 : “Operação policial terá sido ilegal” –  http://aeiou.expresso.pt/tnc-operacao-policial-tera-sido-ilegal=f679919
Actualização 2 : “PSP: Operação para retirar camiões foi coordenada pelo administrador de insolvência” – http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2050606&seccao=Sul&page=-1

Fait divers

A semana passada, todos os media nos presentearam com uma série de fait divers sobre a apresentação do plano estratégico deste governo para a área dos transportes.

O mais importante deixaram de fora : ao colocar tudo o que dá prejuízo na Refer, está claramente a preparar-se para privatizar as novas empresas de transportes que pretende criar (que juntam metro e autocarros numa empresa para Lisboa e outra para o Porto).

É um crime o que se prepara : mais uma vez, o estado acabará por ficar com o que dá prejuizo e vender (a preço de saldo) a parte que dá lucro.

É preciso ouvir o que realmente se passou nesta apresentação parlamentar, deixo vos com o vídeo.

http://videos.sapo.pt/mJV8Z51Jay3pib1Smp8K

Older posts

© 2017 E. Balsa

Theme based on hemingway and unoUp ↑