Category: fotos (page 2 of 2)

Já temos fados e guitarradas

Comprei uma garrafa de casal garcia,
Para beber mais a maria
Preparamos uma festa
Hoje é noite de folia

Já temos fados e guitarradas
Temos vinho e sardinhadas
E a Sandra com o seu acordeão
Dá os acordes no refrão

Venham daí rapaziada
Começa a festa não tarda nada
E esta noite é sempre a abrir
Porque pro ano
Ainda está pra vir

Já só do vinho,
Temos parodia
E a banda toca uma rapsódia
Berra o fadista, de cima do palanco
“eu só quero que me saia branco”

É copo cheio e siga a dança
E até os velhos esquecem a pança
E o bairro está todo em alvoroço..
Está tudo grosso, está tudo grosso

Venham daí rapaziada
Começa a festa não tarda nada
E esta noite é sempre a abrir
Porque pro ano
Ainda está pra vir

Anima a festa pela madrugada
Chega a policia para dançar a lambada
Grandes alhadas e grandes ramboias
Já há tourada e belas bóias.

Só fico eu, mais a maria
Com a garrafa de casal garcia
E a sandra com o seu acordeão
Dá os acordes no refrão

Venham daí rapaziada
Começa a festa não tarda nada
E esta noite é sempre a abrir
Porque pro ano
Ainda está pra vir

Close another door

Many years have passed, it seems,
And I am all alone.
I’ve sent the children far away
To some obscure unknown.

It’s so sad,
So sad.
Close another door.
Listen to my eyes.
Close another door.
You’re much too old to work,
So won’t you run away?

I was young, I used to say
That age won’t bother me.
The life I had was very sad,
It all went out to sea

Though the sun is in outside,
The rain is in my hair.
Now my life is lived inside,
My home is in my chair.

Let me go.
Send me flowers and
Put me on a plane.
I’ve paid before,
So I’ve been told
At least I’m alive

[Bee Gees – Close another door]

[Video]

O mar não é tão fundo que me tire a vida

O mar não é tão fundo que me tire a vida
Nem há tão larga rua que me leve a morte
Sabe-me a boca ao sal da despedida
Meu lenço de gaivota ao vento norte
Meus lábios de água, meu limão de amor
Meu corpo de pinhal à ventania
Meu cedro à lua, minha acácia em flor
Minha laranja a arder na noite fria

(Vitorino – Ana I/II)

[video]

Não canto porque sonho

Não canto porque sonho.
Canto porque és real.
Canto o teu olhar maduro,
teu sorriso puro,
a tua graça animal.

Canto porque sou homem.
Se não cantasse seria
mesmo bicho sadio
embriagado na alegria
da tua vinha sem vinho.

Canto porque o amor apetece.
Porque o feno amadurece
nos teus braços deslumbrados.
Porque o meu corpo estremece
ao vê-los nus e suados.

(“Não canto porque sonho”
Poema : Eugénio de Andrade
Música : Fausto e José Afonso)

Road to nowhere

Well we know where were goin
But we dont know where weve been
And we know what were knowin
But we cant say what weve seen
And were not little children
And we know what we want
And the future is certain
Give us time to work it out

Were on a road to nowhere
Come on inside
Takin that ride to nowhere
Well take that ride

Im feelin okay this mornin
And you know,
Were on the road to paradise
Here we go, here we go

Maybe you wonder where you are
I dont care
Here is where time is on our side
Take you there…take you there

Were on a road to nowhere
Were on a road to nowhere
Were on a road to nowhere

Theres a city in my mind
Come along and take that ride
And its all right, baby, its all right

And its very far away
But its growing day by day
And its all right, baby, its all right

They can tell you what to do
But theyll make a fool of you
And its all right, baby, its all right

Were on a road to nowhere


Were on a road to nowhere – Talking Heads

[video]

Trabalho Divino

O anjo-trabalhador…

… e sua obra:

Maratona Fotográfica de Alfama 2008

Já estão abertas as inscrições para a II Maratona Fotográfica de Alfama, este ano com o tema : Alfama – Ponto de Encontro, a realizar Sábado, 28 de Junho.

Aproveitem este oportunidade única de conhecer este bairro por dentro e por fora.

Mais informações aqui.

Liberdade nocturna…

Newer posts

© 2020 E. Balsa

Theme based on hemingway and unoUp ↑