(page 3 of 51)

Holger Danske



Holger Danske

[Mais fotos]


Holger Danske

Atomium



Atomium

[Mais fotos]


Atomium

Do not sit



Do not sit

[Mais fotos]


Do not sit

Frágil



Frágil

[Mais fotos]


Frágil

Hugo Claro no Adufe Bar

Esta Sexta-Feira, no Adufe Bar – Hugo Claro.

[Evento no Facebook]

Podem dar uma olhada no trabalho do Hugo nos seguintes links:

[A música Portuguesa a gostar dela própria]

[MySpace]

[Youtube]

Para venda – Fujifilm Finepix S5600

Fujifilm Finepix S5600
Inclui cartão XD 1GB
Inclui caixa original, cabos e pilhas recarregáveis (com carregador).
Sem defeitos e em bom estado.

http://lisboa.coisas.com/para_venda/fotografia_e_camaras/fujifilm-finepix-s5600/4231500/

Adufe Bar – Sons do Mundo


Ao fim de quase um ano de impasses e renovações,o Adufe Bar tem finalmente data marcada para abertura – dia 25 de Novembro, Sexta-Feira, pelas 21.00.

Contamos com a presença de todos!

Site : http://www.adufebar.com/
Facebook : https://www.facebook.com/adufebar
Morada : Rua do Arco Escuro, 1 ; Lisboa (perto da Casa dos Bicos/Fundação Saramago)

Smart Galp

A Galp vai brevemente entrar na 2ª Fase de Instalação do programa Smart Galp.

Este programa marca a entrada da Galp no sector de venda de electricidade doméstica.

O programa apresenta três vantagens – uma que não passa de suposta vantagem ,uma real e uma infelizmente imaginária.

A suposta vantagem:

– Descontos nos tarifários de electricidade e gás – bastará comparar o tarifário que nos é apresentado para perceber que a economia é muito magra ( cerca de €1 na mensalidade).

A real vantagem:

– Sistema de controlo em tempo real do consumo de electricidade e gás, assim como termómetro e higrómetro digital.

A vantagem imaginária:

– Um sistema de controlo de consumo automóvel que apenas foi fornecido aos primeiros 30 aderentes (trinta!??!)

Por agora decidi experimentar o serviço – não tem tempo máximo de permanecia, e nada me impede de, a qualquer altura voltar ao tarifário normal da EDP e Galp/GDL.
É uma pena (ou por outra : é previsível) que mais uma vez, esta proliferação de entidades intermediárias não traga nenhuma melhoria a nível do valor final pago pelo consumidor – sendo a prova que a liberalização deste sector é uma farsa e que ficaríamos muito melhor servidos com a antiga empresa dominante se esta baixasse os preços (bastaria deixar de investir milhões em publicidade e nova imagem – eu compro electricidade porque tem de ser, não por ter publicidade bonita).

Logo que tiver mais alguma coisa a dizer sobre o assunto… haverá novo post.

Público vs Avante!

O Público decidiu presentear-nos com um ataque ao Avante! … mas bastará ler o comentário inicial do Richard Zimler para entender que tudo isto é uma mistificação… Zimler apenas aponta que “Na minha opinião este artigo podia (e devia!) ser bem mais clara em relação aos Protocolos. Devia começar com uma explicação do texto seguida por uma condenação dura e clara.” não acusa de forma alguma o PCP de anti-semita…

O texto de Jorge Messias, inserido na sua coluna semanal de opinião sobre Religião e Misticismo não vem defender ou atacar os ditos escritos que vieram,como se apressa o Público a referir, ser utilizados por Hitler – Não conhece por certo o jornalista que escreveu o artigo a regra que define que a partir do momento que se mete Hitler na discussão se prova que não se tem mais argumentos… O texto vem, dizia eu, indicar os paralelismos entre esse texto e a realidade em que nos inserimos. Ou será negável que existem forças económicas que controlam o que se vai passando pelo mundo (acho que agora se intitulam de “mercados”).
É também necessário clarificar que anti-sionismo e anti-semitismo são coisas completamente diferentes, existindo inclusivé grupos de judeus anti-sionistas.
Mas…não deixa de ser interessante verificar que à mínima hipótese o Público pega imediatamente num texto de um blog (5dias) para atacar o jornal Avante! – seria interessante que alguns “jornalistas” do Público passassem a ler o Avante! e a puxar para o seu público muitos dos assuntos que vem no Avante! e em mais lado nenhum…

Bicicletadas Massa Crítica

Já por duas vezes diferentes tive o (des)prazer de me cruzar com a “Bicicletada” da Massa Crítica no Marquês de Pombal…

“Massa Crítica”, para quem não conhece é um grupo internacional que pretende divulgar a utilização da bicicleta como meio de transporte de pleno direito nas cidades.
Ora… com as intenções deles não tenho problema nenhum – embora Lisboa seja uma cidade complexa para andar de bicicleta, gosto da ideia de esta ser mais utilizada e ter um papel mais preponderante, substituindo possivelmente em muitos casos o automóvel – o meu problema está com a forma de divulgação que utilizam.
Esta tal “bicicletada”, que se dá todas as últimas sextas feiras do mês, tem, como aparente ponto alto uma passagem (demorada) pelo Marquês de Pombal, em que os participantes dão voltas em plena hora de ponta à volta da rotunda – até aqui – embora discutível – tudo bem ainda. O que não posso de forma alguma concordar é com a forma como estas voltas são feitas – ignorando sinais de transito, ignorando regras de segurança e condução básicas.
A mim, como condutor forçado (vivo dentro da capital, e trabalho fora dela – nunca poderia fazer o caminho de bicicleta), chateia-me (enraivece-me? entristece-me?), que, a “Massa Crítica” em vez de me tentar mostrar (a mim, automobilista) o interesse de andar de bicicleta em Lisboa, mostrando-me como é possível e seguro, me ataquem impedindo a principal rotunda da cidade, e infringindo as mais básicas regras de segurança rodoviária (numa das ocasiões uma das bicicletas ultrapassou-me pela direita!).
Querem pessoas a utilizar bicicletas? A considerá-las uma boa alternativa aos automóveis? Cumpras as regras de transito.

Seduzam os automobilistas, não os ataquem!

Older posts Newer posts

© 2019 E. Balsa

Theme based on hemingway and unoUp ↑